Eu venci | Boletim Certeza da Vitória

Sopro da vida

Igreja da Graça alcança a Romênia
8 de setembro de 2021
Foto: Arquivo pessoal

SOPRO DA VIDA

Pr. Felipe Escobar foi curado de covid-19 pelo poder do Espírito Santo


Viviane Castanheira


O Senhor Deus […] soprou em seus narizes o fôlego da vida (Gn 2.7). Esse texto ilustra a experiência do Pr. Felipe Escobar, de 39 anos, líder da Igreja da Graça em São Leopoldo (RS). Em julho de 2020, ele foi diagnosticado com covid-19 e ficou bastante debilitado. Sentindo dificuldades para respirar, andar e fazer atividades simples, ele clamou a Deus, para que lhe restaurasse o fôlego.

Logo no início da pandemia do novo coronavírus no Brasil, hospitais, clínicas e postos de saúde estavam colapsados em meio a tantos casos graves da enfermidade. “Achei que estivesse com uma gripe forte, mas as coisas pioraram. Perdi as forças até para ficar em pé. Então, fui a um hospital em Porto Alegre (RS). Parecia cena de filme: avistei jovens e idosos desesperados, passando muito mal. Fiz vários exames, e me mandaram aguardar os resultados em casa”, conta.

Foto: Arquivo pessoal

Na manhã seguinte, ligaram pedindo que Felipe voltasse imediatamente ao hospital, pois os exames estavam prontos. Ele não somente tinha sido infectado com o novo coronavírus, como também 70% dos pulmões dele haviam sido comprometidos. “Temendo a entubação, decidi não retornar. Ali, começava uma luta de dois meses. Minha esposa cuidou de mim o tempo todo. Após 15 dias deitado, tentei me levantar para tomar banho, mas foi um dos piores momentos. Quase morri. O mínimo esforço causava uma tosse sufocante. Mesmo tomando a medicação indicada, os sintomas se mantinham”, relata o pregador. “À noite, o sono era difícil, e parecia ser o fim. Eu pensava na minha esposa e nos nossos três filhos. Pedia a Jesus que me livrasse daquilo”, lembra-se Felipe, pai de Luiz Felipe, 18 anos, Pedro Henrique, 12, e Celso Vitor, 10. O mais novo tem necessidades especiais e preocupava a família. “A cama do Celso se localiza no nosso quarto e jamais deveria estar ali. Porém, durante todo o tempo, ele permaneceu conosco e não foi contaminado. Cristo cuidou dele”, recorda-se.

Laureane Fonseca de Escobar, casada com Felipe há 19 anos, temia pelo marido. “Pensei que ele partiria, mas, ao mesmo tempo, lembrava-me das promessas de Deus. O Espírito Santo me acalmava, e eu permanecia firme”, revela a dona de casa, de 36 anos.

Foto: Arquivo pessoal

E a vitória chegou. Após 60 dias de luta, o pastor fez uma oração: “Jesus, o homem ganhou vida quando Deus soprou nas suas narinas. Sopre nas minhas, para eu viver também!”. Naquela noite, respirando sofregamente, Escobar sentiu o toque do Espírito Santo. “Percebi um calor se aproximando do meu rosto e senti um sopro no meu nariz. Foi um alívio! Parecia que, a cada cinco minutos, aquele rosto se aproximava e soprava no meu nariz; era algo muito bom”, recorda-se Escobar. No entender dele, aquela ajuda tinha vindo da esposa. “Ao despertar, estava me sentindo forte e conseguia me sentar na cama sozinho. Eu a acordei e agradeci por ter soprado no meu rosto. Ela começou a chorar e disse que não havia feito isso”. Na verdade, Laureane havia entrado em concordância com o clamor do marido. “Pedi a Deus que, como fez com Adão, soprasse o fôlego da vida no meu esposo. O Consolador me conduzia à mesma oração do Felipe, para se cumprir a Escritura: Se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus”, ressalta Laureane, citando Mateus 18, versículo 19.

Após a intercessão, o Senhor visitou o Seu servo. “Fiz novos exames comprovando a cura. A enfermeira chorou, porque a equipe de saúde havia perdido muita gente para a covid. Ela ficou alegre ao me ver bem. Nosso melhor Amigo me disse: ‘Curei você desde o primeiro sopro’, e respondi: Eu creio, Senhor!”, testemunha Felipe, pastor há 17 anos. Recuperado, ele está de volta à obra do Senhor, pelo poder do Espírito Santo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *