Ação Social | Boletim do Patrocinador | Certeza da Vitória

Missões na esquina

Igreja da Graça alcança a Romênia
8 de setembro de 2021
A equipe de Ação Social da Igreja da Graça em Natal (RN) – Foto: Divulgação

MISSÕES NA ESQUINA

IIGD realiza atendimentos multidisciplinares na cidade de Natal (RN)


Carlos Fernandes


A noção de Evangelho Integral surgiu nos anos 1970, a partir da Conferência Internacional de Evangelismo, realizada em Lausanne, na Suíça. Essa prática tem como ênfase o atendimento ao ser humano na plenitude de suas necessidades – vulnerabilidades sociais e carências emocionais, físicas e espirituais. Desde então, as igrejas evangélicas têm se empenhado para que a pregação da Palavra seja acompanhada de outras ações que promovam o bem-estar, a dignidade e a segurança de quem recebe as Boas-Novas do Reino. Convém lembrar que o próprio Cristo – o Pão da Vida – teve compaixão das multidões, não somente ao curá-las e salvá-las, saciando-lhes a fome espiritual, mas também ao lhes providenciar o alimento material tão necessário à saúde do corpo (Mt 15.32).

Profissional de saúde atende idosa: trabalho envolve múltiplas áreas – Foto: Divulgação

Com essa convicção, a Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) em Natal, no Rio Grande do Norte, tem cumprido o Ide de Jesus de maneira multidisciplinar. Fazer missões não é apenas sair da própria terra para semear a Palavra em terras distantes. Há muitas atividades no contexto urbano, onde a comunidade cristã está inserida – até mesmo, na esquina próxima ao templo. Além de pregar a Verdade que liberta, pastores, obreiros e membros da IIGD vão ao campo com a Bíblia na mão e uma equipe composta por médicos, psicólogos, advogados, massoterapeutas e cabeleireiros voluntários. Foi o que aconteceu no mês de junho deste ano, quando a equipe da Igreja da Graça atendeu centenas de pessoas em um bairro da capital potiguar. “É lindo o que está acontecendo”, define a coordenadora de Ação Social do templo sede, Bruna Cavalcante.

A coordenadora Bruna Cavalcante e o marido, Pr. Elder: “É lindo o que está acontecendo” – Foto: Divulgação

O evento envolveu vários serviços e contou com a participação da Turminha da Graça animando a garotada. Após as atividades, foi realizado um grande culto ao ar livre, com participação de mais de 500 pessoas. A oportunidade serviu também para resgatar essa modalidade evangelística tão popular no passado, mas que, ultimamente, tem sofrido diversas restrições por causa das barreiras legais e devido à intolerância religiosa. Contudo, a IIGD está na rua e age de maneira equilibrada e organizada. “Arrecadamos alimentos, roupas e remédios em parceria com mercados, estabelecimentos comerciais, farmácias e empresas”, explica Bruna. “Tudo sem custo para a Igreja. Estamos desenvolvendo uma forma de ajudar essas famílias a encaixar os responsáveis em um trabalho.”

A Igreja em ação espiritual: grupo de obreiros ora com as pessoas na rua – Foto: Divulgação

Nada disso seria possível sem o envolvimento e a motivação do povo de Deus. “A participação dos membros é fundamental. Muitos não podem ir, mas nos auxiliam na arrecadação de alimentos e donativos”, destaca Bruna, casada com o líder da IIGD no Rio Grande do Norte, Pr. Elder Cavalcante. Outra prioridade é o recebimento das pessoas que passam a frequentar a Igreja a partir do trabalho realizado pela cidade. “Muitas chegam e começam a se firmar na fé. Temos o exemplo de um jovem que estava preso e se converteu por meio de uma ação social no presídio. Hoje, ele nos ajuda e é uma bênção nas mãos do Senhor.”

Distribuição de alimentos: atividade necessária no contexto da pandemia – Foto: Divulgação

Bruna Cavalcante reconhece que as condições dos mais necessitados pioraram com os reflexos econômicos da pandemia. “Após a crise da covid-19, famílias ficaram sem emprego, sem renda e sem o pão de cada dia. É uma triste realidade”, lamenta. Então, o trabalho não pode se limitar a eventos especiais. “Toda terça-feira, levamos às praças o ministério do sopão, onde são realizados cultos com a população de rua”, diz Bruna. “A cada semana, mais de cem pessoas são alcançadas”. É a Igreja que não pode parar, pois há muito a ser feito até a volta do Senhor. 

A vez da autoestima: cabeleireiras e esteticistas voluntárias se juntam ao esforço missionário – Foto: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *