Na escola do Espírito Santo | Boletim Certeza da Vitória

Alerta sobre a concupiscência

Mais que vencedores
Bênçãos para mãe e filha
Foto: 123RF

ALERTA SOBRE A CONCUPISCÊNCIA

Que tal estudar a concupiscência, que significa desejo desenfreado? Esse mal é um verdadeiro martírio para muitas pessoas. Vejamos o que a Bíblia nos ensina sobre esse assunto, a fim de melhorarmos o nosso modo de viver, tornando-o agradável ao Pai. A santificação é essencial ao cristão e já está garantida a nós. Sem ela, ninguém verá o Senhor: Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb 12.14). É maravilhoso saber que conheceremos o Senhor como dEle somos conhecidos. Avance nesse propósito!

1. A ORIGEM DA CONCUPISCÊNCIA – A Lei de Moisés fez os hebreus conhecerem o que a Palavra chama de desejo desenfreado: Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás (Rm 7.7). Na Sua morte, Jesus tirou do diabo a capacidade de nos subjugar (Cl 2.15). Hoje, o certo é conhecer o Senhor e o Seu poder; assim, agradaremos a Deus!

2. O REMÉDIO – Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne (Gl 5.16). Andar em Espírito é viver meditando e assumindo nossos direitos no Filho de Deus, que nos dá força para vencer o pecado. Agora, podemos viver nEle: Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim (Gl 2.20).

3. O DESPERTAR DA CONCUPISCÊNCIA – Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda a concupiscência: porquanto, sem a lei, estava morto o pecado (Rm 7.8). Hoje, não temos mais de ficar sob o governo do pecado. Precisamos nos considerar mortos para ele e vivos para o Senhor: Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm 6.11). Que tal considerar-se vivo para Deus? Ele espera isso de todos nós que somos parte do Seu Corpo, a Igreja.

4. ORDENADOS A MORTIFICAR – Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria (Cl 3.5). Mortificar é renunciar aos prazeres que nos afastam do Senhor. Paulo disse: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma (1 Co 6.12).

5. O USO CONJUGAL – Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra, não na paixão de concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus (1 Ts 4.3-5). É necessário abster-se da prostituição – adição de práticas não programadas por Deus para estar no leito conjugal: Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará (Hb 13.4). Evitar o julgamento é salutar!

6. COMO SOMOS TENTADOS – Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência (Tg 1.14). Portanto, não se deixe atrair pelo que os ímpios fazem no relacionamento conjugal, pois tais atitudes são condenadas pela Palavra (1 Co 6.13). A tentação tem derrubado até grandes homens de Deus, como ocorreu com Davi (2 Sm 11). Por isso, ao senti-la aproximando-se de você, repreenda-a e entre em oração.

7. A GRAVIDEZ DA MORTE Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte (Tg 1.15). Fuja do que a Bíblia condena. A santidade deve ser a nossa norma de conduta. A morte citada por Tiago é a separação eterna do Senhor: Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte (Ap 21.8).

8. A ORIGEM DA CORRUPÇÃO Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo (2 Pe 1.4). Na salvação, nós nos tornamos co-herdeiros de grandíssimas e preciosas promessas, sendo participantes da natureza divina, depois de termos escapado da corrupção. Os sábios se esforçarão para se manter limpos pela Palavra pregada (Jo 15.3).

9. OBRAS QUE CONTAMINAM – Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo (1 Jo 2.16). Nesses três desejos, tomamos conhecimento do que nos livramos, quando Deus nos libertou do mundo e das suas paixões (Gl 5.24). Ninguém precisa deles para viver. Precisa, sim, seguir as palavras da vida: Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna (Jo 6.68).

10. OS QUE PERMANECEM – E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre (1 Jo 2.17). Quem deseja permanecer na presença do Senhor nos Céus, evitando o suplício eterno, deve dar a si mesmo o presente de dizer não ao mundo, que nada de bom tem a nos oferecer. É preciso ir a Jesus: E não quereis vir a mim para terdes vida (Jo 5.40).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *